Aeroporto de Shenzhen, na China, aposta em robôs para fazer a patrulha

Guardiães são capazes de identificar suspeitos, procurar explosivos, armas e entorpecentes

Por: Redação Embarque - 26 de setembro de 2016

divulgação

Com um dos maiores tráfegos da China, o aeroporto de Shenzhen  inovou e colocou robôs para patrulhar o terminal. Esse é um dos primeiros lugares públicos no País a contar com guardiães automatizados.

De acordo com a imprensa local, estes aparelhos, chamados Anbot (“an” significa “segurança” em chinês), têm um aspecto ovoidal que lembra mais o R2D2 de Star Wars.

A “cara” dos robôs tem de uma tela digital e uma câmera de alta definição capaz de fazer imagens dos viajantes para ser analisadas.

O funcionamento dos guardiães é muito similar a uma câmera de segurança, só que com maior mobilidade, podendo se deslocar a uma velocidade de até 18 km/h.

Além disso, os guardas de lata tem uma “arma” de defesa (um braço em sua parte inferior capaz de soltar descargas elétricas para render potenciais inimigos). Eles também são capazes de procurar explosivos, armas e entorpecentes.

O Anbot foi desenvolvido por uma universidade chinesa ligada ao Exército e também pode ser utilizado como vigilante em escolas e bancos. O preço de cada robô saiu em média 100 mil iuanes , cerca de US$ 15 mil.

Redação Embarque

Email: embarque@revistaembarque.com
Email: jornalismo@midiaconsulte.com.br

Fone: (11) 3101-1912

Comentários