Setor aéreo brasileiro está entre os mais pontuais do mundo

Brasil aparece no topo do ranking, divulgado pela consultoria britânica OAG

20 de janeiro de 2016

Aeroportos e companhias aéreas brasileiras estão entre os mais pontuais da aviação mundial. É o que afirma pesquisa da consultoria britânica OAG, especializada em inteligência de mercado de aviação, que tem a maior rede internacional de dados sobre viagens aéreas.

O relatório Liga da Pontualidade 2015, que está em sua segunda edição, mostra que os principais aeródromos do País obtiveram alguns dos melhores índices globais em diversas categorias da pesquisa, à frente, inclusive, de grandes terminais estrangeiros. Na categoria dos maiores do mundo (mais de 20 milhões de passageiros/ano), Guarulhos aparece como o terceiro mais pontual (87,5%).

Entre os 20 aeroportos com o maior número de conexões potenciais entre voos – os chamados megahubs –, Congonhas ocupa a segunda posição no ranking e Guarulhos vem logo após, em terceiro lugar.

Destaques

 Na categoria de pequenos aeroportos mundiais (oferta total anual de assentos inferior a 10 milhões), Porto Alegre (87,6% de pontualidade) e Curitiba (87,4%) aparecem entre os mais pontuais nas 17ª e 20ª posições, respectivamente. Entre os aeroportos de médio porte (com 10 e 20 milhões de assentos ofertados no ano), estão Congonhas, na 6ª posição, com 87,8%; Brasília, em 13º lugar (85,5%); e Rio de Janeiro, em 20º, com 83,5%.

Entre as 20 maiores companhias aéreas mais pontuais do mundo em 2015, a Azul aparece em terceiro lugar, com 91% de pontualidade, e a Tam Linhas Aéreas em sétimo, com 89,5%. Na categoria de empresas de baixo custo (LCC Category), a Azul ocupa o primeiro lugar (91%), seguida pela Gol, em terceiro (86,4%), e pela Avianca, que ficou na 9ª posição (83,9%).

No recorte por regiões, as quatro grandes empresas aéreas brasileiras aparecem entre as seis transportadoras mais pontuais da América Latina em 2015. O índice de pontualidade é medido para operações (partidas e chegadas) realizadas com até 15 minutos de atraso em relação ao horário programado dos voos.

O estudo considera uma base de dados de 50 milhões de voos realizados por mais de 900 companhias aéreas em mais de 4 mil aeroportos. Entram nas análises empresas e aeroportos que tenham fornecido à OAG ao menos 80% das estatísticas de todos os voos regulares operados em 2015.

 

Com Secretária da Aviação Civil 

 

Redação Embarque

Email: embarque@revistaembarque.com
Email: jornalismo@midiaconsulte.com.br

Fone: (11) 3101-1912

Comentários