Dinamarca ocupa o primeiro lugar entre os melhores países para fazer negócios

É o que revela levantamento feito pela revista americana Forbes

23 de dezembro de 2015

A Dinamarca está em primeiro lugar nos melhores países para fazer negócios, segundo levantamento da revista americana Forbes. Com uma economia de mercado moderna, o país aposta fortemente em uma indústria de alta tecnologia no setor agrícola, tendo também um papel importante nas empresas que são líderes mundiais na indústria farmacêutica, transportes marítimos e de energia renovável.

O país conquistou o primeiro lugar em seis das 10 pesquisas anuais realizadas pela Forbes. Além de ser classificada no top 20 no que diz respeitos a todos os tipos de indicadores, exceto em um dos 11 indicadores utilizados para avaliar os melhores países para os negócios. O PIB anual do país é de US$ 2.945 trilhões, com inflação de 0,6% e taxa de desemprego de 4,9%.

Um dos ganchos pró-negócios da Dinamarca é a flexibilidade do seu mercado de trabalho, onde as empresas podem facilmente contratar e despedir trabalhadores. A força de trabalho dinamarquesa está entre as mais produtivas da Europa e não há nenhuma restrição em relação à horas extras, permitindo que as empresas operem 24 horas por dia, 365 dias por ano.

Ranking

A Nova Zelândia foi um país que cresceu rapidamente nos últimos anos, criando uma economia livre a partir da sua economia agrária. Atualmente, não é somente o terceiro melhor país para se fazer bons negócios, como já oferece uma excelente capacidade tecnológica no setor industrial.

Já a economia da Noruega, apresenta um caráter muito próspero. O país possui um forte setor privado e uma grande rede de segurança-social. É também classificada como um dos países mais seguros para montar ou investir em um negócio.

A Irlanda, que ocupa a quarta posição do ranking, foi previamente classificada como primeiro país no mundo para se fazer negócios em 2013, mas caiu três lugares ano passado. Com uma localização privilegiada, a economia irlandesa oferece privilégios para empresas que desejam abrir seu negócio.

Os países europeus representam dois terços dos 25 principais países de 2015. Um dos países que mais teve quedas foi os Estados Unidos, que deslizou quatro posições, ficando em 22º lugar. O país continua caindo de posições desde 2009, quando ocupou o segundo lugar no ranking.

O Reino Unido e o Japão subiram três posições em relação ao ano passado, conquistando a 10ª e 23ª posições, respectivamente. A Alemanha subiu duas posições e ocupa o 18º lugar. A China saiu da 97ª posição e agora ocupa a 94ª, com baixas posições em liberdade pessoal e monetária, proteção dos investidores e burocracia.

Já o Brasil aparece no 94º lugar do ranking, atrás da Rússia, que ocupa o 92º lugar e da Índia, que se classificou em 93ª.

 

Redação Revista Embarque 

Redação Embarque

Email: embarque@revistaembarque.com
Email: jornalismo@midiaconsulte.com.br

Fone: (11) 3101-1912

Comentários