Saiba como funcionam os aparelhos responsáveis pela segurança dos aeroportos

Equipamentos de ponta e até o faro dos cachorros são aliados no combate a atentados e fraudes

27 de maio de 2016

shutterstock_192828986[1]

Divulgação

A preocupação com segurança em aeroportos começou na década de 1970, quando terroristas começaram a sequestrar aviões e foi intensificada após os ataques às Torres Gêmeas em 2001, nos Estados Unidos.

Para fazer a segurança nos terminais, existem três tipos de equipamentos básicos: o detector de metais, o raio-X e o detector de traços, que indicam vestígios de drogas e explosivos nas roupas e nos corpos dos passageiros. Saiba a seguir, como funciona cada um deles:

Detector de metais

É composto por um campo eletromagnético, quando uma pessoa passa por ele com alguém metal, o campo eletromagnético é interrompido, fazendo assim com que soe o alarme.

Raio-X

Examina os objetos, podendo atravessar qualquer superfície orgânica ou mista. Composto por duas camadas, se os feixes do raio-X ultrapassá-las significa que o objeto é orgânico, ou seja, que deixa passar toda a radiação. Já se passar apenas a primeira camada, o material é misto e se não atravessar nenhuma camada, é de metal. Quando o processo é finalizado, o computador interpreta os dados recebidos e mostra os objetos em cores diferentes, conforme seu material.

Detector de traços

Quando um passageiro passa pelo aparelho, ele sopra um vento que empurra as mini partículas presas em nosso corpo para um coletor, onde é analisado automaticamente. O aparelho tem uma lista de substâncias proibidas, apitando a qualquer traço delas.

Faro

Além de toda tecnologia, os aeroportos usam as 240 milhões de células olfativas dos cães farejadores. Eles são treinados desde o nascimento para encontrar drogas, vascular bagagens despachadas e também as já embarcadas.

 

 

Redação Embarque

Email: embarque@revistaembarque.com
Email: jornalismo@midiaconsulte.com.br

Fone: (11) 3101-1912

Comentários