Invenção brasileira permitirá jovem deficiente dar o pontapé inicial da Copa

28 de maio de 2014

exoskeleton_nicolelis

O mecanismo será controlado pelo cérebro do usuário 

A Copa do Mundo, que começa no dia 12 de junho com o jogo  Brasil x Croácia, na Arena Corinthians, em São Paulo, terá um pontapé inicial pra lá de especial. Uma tecnologia brasileira, desenvolvida por cientistas de várias partes do mundo, irá permitir que um jovem com paralisia nas pernas possa dar o primeiro chute simbólico do Mundial.

Batizado de exoesqueleto, o mecanismo já está em fase final de testes. A ferramenta será controlada pelo cérebro do usuário, sem que haja a necessidade de manusear nenhum tipo de controle remoto ou botão.

No entanto, para que o aparelho funcione de maneira correta, é preciso que a pessoa sinta onde o robô está pisando.  Para isso, os cientistas criaram uma “pele artificial”, desenvolvida na Alemanha, com sensores que ficam embaixo do pé. Quando o robô se mexe, a pele “sente” os pés tocando o solo.

O processo de criação da tecnologia começou 2012, num laboratório improvisado, em São Paulo. Idealizada pelo neurocientista brasileiro, Miguel Nicolelis, a ferramenta é um grande passo para melhorar a vida de deficientes físicos.

Com informações de Ao Quadrado 

Vanessa Barboza Vanessa Barboza (100 Postagens)

Jornalista, redatora, adora cinema, arte, literatura e moda. É colunista da Revista Embarque.


Redação Embarque

Email: embarque@revistaembarque.com
Email: jornalismo@midiaconsulte.com.br

Fone: (11) 3101-1912

Comentários