Vinho do RS é eleito o oficial da Copa

21 de fevereiro de 2014

A bebida faz uma homenagem ao futebol, e é inspirada nos 11 jogadores.

O vinho Faces, desenvolvido pela vinícola Lídio Carraro, que tem sede em Bento Gonçalves (RS), foi o escolhido para ser o vinho oficial da Copa do Mundo de 2014. A bebida é produzida na região conhecida como Vale dos Vinhedos, de onde saem as principais marcas nacionais.
“Nós temos a sensação de que será um grande momento para o vinho brasileiro, porque será uma oportunidade de várias pessoas, no nosso País e no mundo inteiro, poderem degustar, talvez pela primeira vez, um vinho nacional. Então, o vinho da Copa acaba sendo um vinho de grande importância para o setor da uva e do vinho no Brasil. E essa é uma grande responsabilidade também de poder, além de elaborar um vinho de qualidade, que ele traga consigo um conceito que lembre o nosso País, algo que possamos contar a história do nosso vinho, as qualidades do nosso vinho”, afirma a enóloga Mônica Rosetti, responsável pelo desenvolvimento do produto.
O conceito do vinho e o nome Faces foram escolhidos para representar a identidade multiétnica e multicultural do Brasil, e também a combinação de uvas que compõe cada uma das versões: tinto, branco e rosé.

Homenagem
O vinho branco leva em sua composição as uvas Chardonnay, Moscato e Riesling Itálico. Já o rosé traz a combinação Pinot Noir, Merlot e Touriga Nacional. A criação do Faces Tinto tem uma peculiaridade, conta a enóloga: é uma homenagem ao futebol, inspirado nos 11 jogadores em campo, num esquema 4-4-2. “No caso do vinho tinto, é a escalação de um time: são onze uvas, como onze jogadores em campo. Existe inclusive um sistema tático que serviu de inspiração para escolher a proporção de cada uva no corte. Nós temos então a Merlot e a Cabernet Sauvignon como uvas atacantes, são as primeiras uvas que nós sentimos no aroma do vinho. Depois nós temos quatro uvas no meio de campo, que são aquelas uvas que contribuem com o aroma do vinho e também fazem essa primeira sensação de volume de boca, e são elas a Teroldego, a Touriga Nacional, a Tempranillo e a Pinot Noir. Depois, para completar a estrutura do vinho, o corpo, foram escolhidas as quatro uvas com mais expressão; então Tannat, Nebbiolo, Alicante Bouschet e Ancellotta. E para completar a escalação temos um goleiro também, que é o Malbec, que é relacionado ao retrogosto do vinho. Com esse time, com essa escalação de uvas que representam um pouco a realidade do Brasil enológico e do vinho brasileiro, nós temos a satisfação de dizer que o Faces, que essa taça já é nossa, já é do vinho brasileiro”, conclui a enóloga Mônica Rosetti.

Redação com Portal da Copa

Redação Embarque

Email: embarque@revistaembarque.com
Email: jornalismo@midiaconsulte.com.br

Fone: (11) 3101-1912

Comentários