Independência da Escócia deve afetar economicamente aeroportos britânicos

11 de junho de 2014

A redução do imposto sobre os passageiros no país provocaria a diminuição dos voos no norte da Inglaterra

Faltam exatamente 99 dias para que os escoceses decidam através de um referendo se continuam pertencendo ao Reino Unido ou se se tornarão um país independente. Enquanto a força independentista ganha apoio, a campanha pelo “não à independência” tenta angariar mais votos prometendo mais autonomia para Escócia dentro do Reino Unido. (fotos: El Huffington Post / Universal Weather / Divulgação)

Atualmente a distância entre o “sim” e o “não” é de apenas 7 pontos de diferença a favor da permanência do país sob o comando britânico.

Universal Weather

Seja qual for a escolha, a independência ou a prometida autonomia, os aeroportos do norte da Inglaterra serão prejudicados. A razão é a possível diminuição do Air Passenger Duty (APD), em português o Imposto sobre o passageiro aéreo. Atualmente situado entre R$ 50 e R$ 360 por passageiro de classe econômica, o imposto deve cair pela metade ou ser abolido por completo, segundo algumas vozes independentistas.

Isso provocaria uma importante diminuição dos preços das passagens nos aeroportos escoceses. Com isso, espera-se que muitos passageiros dos aeroportos do norte de Inglaterra viagem até a Escócia com o objetivo de economizar dinheiro.

O Newcastle International Airport, localizado no norte da Inglaterra, seria um dos grandes prejudicados com a redução do APD. O aeroporto recebe cada ano 4,4 milhões de passageiros, enquanto o Edinburgh Airport, na Escócia, situado a 170 quilômetros de distância, recebe 10 milhões de viajantes por ano.

mapa

Segundo John Strickland, especialista em aviação e analista da consultora JLS Consulting, “geralmente os passageiros preferem voar desde o aeroporto local, porém se existe uma grande diferença de preços, o que seria o caso se o APD é reduzido ou cancelado em Edimburgo e não em Newcastle, muitos clientes trocariam seus planos de viagem”.

O precedente histórico apoia a teoria de Strickland. Antes da redução do APD no Reino Unido, os passageiros da Irlanda do Norte viajavam para os Estados Unidos desde Dublin, na Irlanda, para reduzir custos.

Resposta inglesa

Porém, as autoridades aeroportuárias do norte da Inglaterra não ficarão inertes esperando que a redução do APD provoque o fechamento dos seus aeroportos. Graeme Mason, diretor de planejamento e assuntos corporativos do Newcastle International Airport, é claro em suas afirmações: “O governo britânico deve resistir à diminuição do APD em um acordo antes o depois do referendo”.

Ana Abril com informações de La Vanguardia e de The Scotsman

(Visited 1.017 times, 2 visits today)

Redação Revista Embarque

Email: embarque@revistaembarque.com
Email: jornalismo@midiaconsulte.com

Fone: (11) 96948-7446

Whatsapp: (11) 96948-7446