LaGuardia Airport investe US$ 37.5 milhões para se proteger de desastres naturais

28 de novembro de 2013

O furacão Sandy atingiu o Aeroporto, localizado em NY, em 2012.

LaGuardia Airport, um dos aeroportos internacionais da cidade de New York nos EUA, investirá US$ 37.5 milhões em um conjunto de reformas para se proteger de futuros desastres naturais. (foto: Divulgação)

Devido a sua posição geográfica, o LaGuardia Airport sofre constantemente com fenômenos climáticos extremos. Para minimizar danos decorrentes de desastres naturais, as autoridades locais e federais aprovaram um investimento de US$ 37.5 milhões. O dinheiro será destinado à instalação de barreiras anti-enchentes na pista principal e a um sistema de iluminação em todas as pistas. Além disso, a rede de drenagem do aeroporto será substituída por outra mais eficiente. Os geradores de emergência e a rede de energia também serão melhorados.

Em outubro do ano passado, devido ao furacão Sandy, o aeroporto teve que fechar as portas durante três dias.  Na época, o Sandy fez com que 380 milhões de litros d’água da Baía de Flushing, situada nos limites do aeroporto, ultrapassassem o muro de proteção e inundassem o aeródromo.

Aeroportos: os mais vulneráveis

Para evitar obstáculos aéreos, como prédios ou montanhas, os aeroportos são construídos em zonas despovoadas rodeadas por rios e lagos. Essa localização faz com que os aeroportos não possuam barreiras naturais contra enchentes e fortes ventos, por isso, os aeroportos geralmente são as infraestruturas mais danificadas durante os desastres naturais. Segundo o Departamento do Comitê Consultivo de Avaliação Climática e Desenvolvimento Nacional do Comércio dos EUA, os aeroportos vulneráveis a enchentes deveriam ter pistas de pouso mais elevadas sobre o nível do mar, pois a água dos oceanos crescerá nas próximas décadas.

Além disso, os aeroportos precisam estar em boas condições após os desastres naturais porque são pontos essenciais na hora de receber ajuda para a população danificada.

Relief Effort Continues In The Philippines After Typhoon Haiyan DevastationSala do Tacloban’s Daniel Z. Romualdez Airport, nas Filipinas, após o tufão Haiyan. (Foto: Dondi Tawatao/Getty Images) 

 Tufão Haiyan

Tacloban’s Daniel Z. Romualdez Airport, o aeroporto da cidade de Tacloban nas Filipinas, está sendo usado como um centro médico após o tufão Haiyan, que causou 5,5 mil mortes no mês passado. Agora, o aeroporto está em pedaços e conta com uma única pista. Stephen Emery, consultor de engenharia e diretor da consultoria Kubu Australia Pty, Ltd., assegura: “É provável que nada poderia ter sido feito para proteger o aeroporto de Tacloban  em tais circunstâncias extremas”. Porém, ele acrescenta: “Os tipos de investimentos que estão sendo feitos em LaGuardia Airport provavelmente deveriam ter sido feitos antes do aniversário de um ano de Sandy”.

Ana Abril com informações do Scientific American e El País

Ana Abril (90 Postagens)

Estudante do último ano da dupla graduação em Jornalismo e Comunicação Audiovisual. Mora em Praga, na República Tcheca. Colunista da Revista Embarque.


Redação Embarque

Email: embarque@revistaembarque.com
Email: jornalismo@midiaconsulte.com.br

Fone: (11) 3101-1912

Comentários