Brasileiros vacinados contra COVID-19 poderão entrar nos Estados Unidos

O Blog de Viagens Skyscanner divulgou esclarecimentos para quem quer ir aos EUA

Por: Redação Embarque com Blog Skyscanner e Valor - 20 de setembro de 2021

O Governo de John Biden, nos Estados Unidos, anunciou nesta segunda-feira (20) que os turistas brasileiros  que estejam totalmente vacinados contra a Covid-19 poderão entrar no país a partir de novembro. Os viajantes também precisarão apresentar teste negativo para o coronavírus realizado até três dias antes do embarque.  No entanto, segundo informações da imprensa  ainda não está claro que vacinas serão aceitas pelo novo sistema que será implementado pela Casa Branca.  (Foto: Facebook White House) 

Segundo a atualização da classificação de risco dos CDC do dia 13 de setembro, o Brasil deixou de ser considerado um país de alto risco (4º nível) e passou a ser classificado como país de risco (3º nível). Mas atenção: a medida diz respeito apenas àqueles que partem dos EUA com destino ao Brasil e não o contrário.

O Blog de Viagens Skyscanner divulgou esclarecimentos para quem quer ir aos Estados Unidos.  Hoje podem ir aos EUA estudantes, acadêmicos e jornalistas brasileiros.

Confira as perguntas e respostas do blog Skycanner:

Quais são os requisitos de entrada nos Estados Unidos?

Estar na lista de países autorizados a entrar nos EUA é uma das exigências – passageiros que estiveram nos últimos 14 dias em países não-autorizados, como o Brasil, não podem entrar. Além disso, o visto americano, um dos mais importantes requisitos para a entrada nos Estados Unidos, não está mais sendo concedido em função da pandemia.

Desde 26 de janeiro de 2021, para entrar nos EUA é obrigatório apresentar um teste PCR negativo para coronavírus, feito no máximo 72h antes de embarcar. Também é necessário preencher um formulário antes da viagem. É recomendável conferir as regras de entrada e de quarentena nos Estados Unidos exigidas por cada estado/território americano.

Quem pode entrar nos Estados Unidos?

No momento, a entrada nos EUA está autorizada a:

  • cidadãos americanos e residentes permanentes dos EUA;
  • cônjuges de cidadãos e de residentes permanentes dos EUA;
  • pais / responsáveis legais de um solteiro menor de 21 anos americano ou com residência permanente nos EUA;
  • solteiro e menor de 21 anos que seja irmão ou irmã de um cidadão americano ou com residência permanente dos EUA, também solteiro e menor de 21 anos;
  • criança / filho adotivo / dependente de um cidadão americano ou residente permanente dos EUA;
  • passageiros com os seguintes tipos de visto americano: A-1, A-2, C-1, C-1, C-2, C-3, CR-1, CR-2, D, E-1 (como funcionário da TECRO ou TECO ou membros da família imediata do funcionário), G-1, G-2, G-3, G-4, IR-1, IR-4, IH-4, IV, K-1, K-2, K-3, K-4, NATO-1 a NATO-4 ou NATO- 6;
  • passageiros com visto C-1/D viajando para ingressar em um navio ou voo nos EUA;
  • passageiros com visto de tripulação H ou L;
  • passageiros com visto DV emitido entre 1 de outubro de 2019 e 30 de setembro de 2020;
  • membros das Forças Armadas dos EUA, cônjuges e filhos de membros das Forças Armadas dos EUA;
  • passageiros que comprovem viajar a convite do governo dos EUA para uma finalidade relacionada à contenção do Coronavírus (COVID-19);
  • passageiros com documentos emitidos pelo Departamento de Segurança Interna dos EUA, Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA ou Departamento de Estado dos EUA, indicando que o passageiro está isento da restrição;
  • membros da tripulação B1 envolvidos em atividades de isqueiro, plataforma continental externa (OCS), atividade de parques eólicos, equipe aérea / marítima privada e outros tripulantes ativos semelhantes;
  • estudantes com visto F-1 ou M-1 e seus dependentes F-2 e M-2.

    Quando poderemos viajar para os EUA de novo?

    Apesar dos Estados Unidos terem liberado a entrada de estudantes, acadêmicos e jornalistas brasileiros com visto, ainda não há como prever a total reabertura de fronteiras dos Estados Unidos para passageiros que viajam a partir do Brasil, especialmente o turismo.

    O aumento de casos da variante Delta no país e a queda no número de imunização dos cidadãos pegou o governo americano de surpresa, fazendo com que os planos de controle da doença fossem reavaliados. Portanto, fica suspensa a revisão das restrições globais de viagem.

    Enquanto isso, a não ser que você precise viajar e tenha um dos vistos com entrada permitida ou cumpra algum dos requisitos na lista de exceções, o jeito é aproveitar o momento para aprofundar seu conhecimento sobre o que fazer nos Estados Unidos e ir pensando no seu roteiro de viagem pós-pandemia.

    E caso você seja um dos passageiros isentos das restrições impostas pelo governo dos Estados Unidos, lembre-se de tomar todos os cuidados para viajar com segurança em tempos de coronavírus.

(Visited 117 times, 1 visits today)

Redação Revista Embarque

Email: embarque@revistaembarque.com
Email: jornalismo@midiaconsulte.com

Fone: (11) 96948-7446

Whatsapp: (11) 96948-7446