Colisões entre pássaros e aviões provocam perdas de US$ 1,2 bilhões no mundo

17 de janeiro de 2014

Em agosto de 2013, a Infraero lançou um programa para reduzir esse tipo de acidentes no Brasil.

Embora possa parecer um dado surreal, as colisões entre pássaros e aviões já provocaram perdas de até US$ 1,2 bilhões em aviões comerciais pelo mundo, segundo a Universidade de Nebraska nos EUA. Além do fator econômico, muitas vezes, esse tipo de acidente também se torna uma ameaça para a segurança do voo. (fotos: Air Combat Command / Cleber Gomes – Agência RBS

Em agosto de 2013, a Infraero lançou o programa “Gestão do Perigo da Fauna Aeroportuária” para reduzir as colisões entre aves e aeronaves no País. Os protagonistas da iniciativa foram às aves de rapina, cuja presença afasta outros pássaros das proximidades dos aeroportos. E, se caso algum pássaro desavisado insistir em sobrevoar a área aeroportuária, as aves de rapinas os capturam para que depois os mesmos sejam libertados em zonas seguras.

aves rapina aeroportos
Falcão usado para afastar outros pássaros no Aeroporto de Joinville, em Santa Catarina

As ações foram realizadas no aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, Região da Grande Belo Horizonte, e no aeroporto Carlos Drummond de Andrade, na Pampulha. Segundo dados do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), a aviação civil brasileira registrou 1.540 colisões entre aves e aeronaves em 2012, sendo os quero-queros, os urubus, os carcarás e as corujas as aves mais prejudicadas.

A maioria dos acidentes com pássaros acontecem bem quando a ave atinge o para-brisa ou também quando se introduz nas turbinas das aeronaves. O risco de colisão aumenta na decolagem e pouso dos aviões devido à baixa altitude do voo. Contudo, já aconteceram acidentes a elevadas altitudes, entre 6 mil e 9 mil metros de altitude.

Curiosidades

A Agência de Gestão do Espaço Aéreo da Nigéria (NAMA) revelou nesta semana um estudo demonstrando que na maioria dos acidentes estava envolvida uma espécie particular de pássaro, conhecido como “black- pipa”, responsável por 50% das ocorrências. Em seguida, está o “gado garça”, com 12% de envolvimento nos acidentes. Outras espécies de aves envolvidas em incidentes aéreos são morcegos e pombas.

Segundo outro gráfico publicado pela agência, o avião Boeing 737 é situado como o mais envolvido em ocorrências deste tipo, com 17 acidentes, o que representa o 50% das colisões entre aviões e pássaros. A lista continua com o Boeing 777 que possui 15% de envolvimento nos acidentes.

O estudo também revelou dados positivos para a Nigéria. Segundo a NAMA, em 2012, só aconteceram 34 acidentes aéreos com aves nos aeroportos do país, um número reduzido em relação com outros anos.

O Murtala Mohammed International Airport, em Lagos, registrou o maior número, com 10 incidentes, seguido pelo Nnamdi Azikiwe International Airport, em Abuja, ambos situados na Nigéria.

Ana Abril com informações de O Tempo e do Nigerian Tribune

(Visited 653 times, 1 visits today)

Redação Revista Embarque

Email: embarque@revistaembarque.com