Hangar da Varig pode virar sala de embarque do Aeroporto de Congonhas

Segundo a Aena, serão investidos R$ 2 bilhões e a nova estrutura ficará pronta até 2028.

Por: Redação Revista Embarque - 4 de abril de 2024

Foto: Aena

O hangar de madeira de Congonhas, originalmente da Varig e agora usado pela Gol, passará por uma transformação significativa. A proposta é converter esse patrimônio em uma sala de embarque remota, como parte do amplo projeto de reformulação do aeroporto. Essa informação foi divulgada pelo  Jornal Folha de SP.

Segundo o jornal, o projeto visa aumentar a distância entre a pista principal e a de taxiamento, com a construção de uma nova estrutura de embarque até 2028, representando um investimento total de cerca de R$ 2 bilhões.

Foto: Aena

O hangar, erguido nos anos 1940 e tombado desde 2011, será preservado em sua estrutura de madeira triarticulada. Ele será adaptado para abrigar até dez portões de embarque, com ônibus transportando passageiros até as aeronaves.

Foto: Aena

A Concessionária que administra o aeroporto de Congonhas, a Aena, informa que após as obras, o número de posições de embarque aumentará para 37, contribuindo para um aumento previsto no fluxo de passageiros para 29,5 milhões por ano, sem afetar o número atual de movimentos.

Foto: Aena

Ainda segundo reportagem da Folha, a Gol, atual locatária do espaço, garante a preservação do hangar e afirma estar comprometida em atender às exigências operacionais e de conservação do patrimônio tombado.

Foto: Aena

“A transformação do hangar histórico representa um desafio logístico, porém, a concessionária Aena, responsável pela gestão do aeroporto, está determinada a preservar a história e modernizar as instalações de Congonhas”, informa a matéria da Folha.

 

(Visited 185 times, 1 visits today)

Redação Revista Embarque

Email: embarque@revistaembarque.com