Aeroportos de Guarulhos, Campinas e Recife lideram atrasos de voos no país

O levantamento é da AirHelp que oferece assistência aos passageiros lesados

Por: Redação da Revista Embarque - 7 de fevereiro de 2022

O Aeroporto Internacional de Guarulhos, localizado na região metropolitana de São Paulo, liderou atrasos e cancelamentos de voos no ano passado. Foram 88.676 passageiros foram afetados, segundo levantamento da AirHelp. (foto:  Anna Shvets | Pexels)

Segundo a empresa, na lista dos 10 aeroportos com maior número de atrasos e cancelamentos no país, quem aparece na segunda colocação é o Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP): 321.269 foram afetados. O Aeroporto Internacional de Recife (PE) aparece logo na sequência, com 317.270 passageiros.

Ajuda ao passageiro 

Para reivindicar uma indenização, os passageiros devem estar cientes se o atraso ou cancelamento realmente causou sofrimento, estresse ou lesão ao usuário. A AirHelp informa também que acontecimentos como faltar a uma consulta médica importante, cancelamento de contrato, demissão, afastamento de um acontecimento de grande relevância emocional são situações que podem dar lugar a um pedido de indenização perante a companhia aérea. “Se o passageiro já sofreu os chamados “danos morais” e pode prová-los, os passageiros têm boas chances de obter uma indenização financeira de até R$ 5.000 por pessoa”, informa a empresa.

O passageiro tem mais chance de obter uma compensação financeira se a companhia aérea for a responsável direta pela interrupção do voo, por problemas técnicos ou falta de tripulação, por exemplo. A interrupção do serviço devido a condições climáticas extremas pode ser usada como justificativa e aceita pelos tribunais, como estando fora do controle da companhia aérea. No entanto, nesta situação, os passageiros continuam a ter direito ao serviço e à informação.

“O conjunto de direitos dos passageiros aéreos que temos no Brasil é orientado para o cliente e oferece aos passageiros aéreos uma grande consideração, especificando exatamente quais os cuidados que as companhias aéreas devem oferecer e quando em caso de problemas de voo. No entanto, a lei é muito vaga quando se trata de critérios de compensação e pode ser um desafio para um único indivíduo sem conhecimento especializado interpretar a lei corretamente. Entre os principais motivos pelos quais os passageiros brasileiros não reivindicam seus direitos em caso de problemas de voo, podemos encontrar: falta de conhecimento sobre como fazer uma reclamação, mas também falta de consciência dos direitos dos passageiros”, diz Luciano Barreto, diretor-geral da AirHelp no Brasil.

De acordo com a AirHelp, 4,4 milhões de passageiros podem ter direito a pleitear indenização das companhias aéreas por atrasos e cancelamentos ocorridos em 2021 nos aeroportos brasileiros. Além de voos cancelados, atrasos de mais de quatro horas também são motivo de indenização.

Passageiros afetados por atrasos e cancelamentos de voos nos aeroportos brasileiros em 2021:

Guarulhos (SP): 988.676
Viracopos (SP): 321.269
Recife (PE): 317.270
Santos Dummont (RJ): 304.904
Brasília (DF): 249.815
Congonhas (SP): 246.413
Confins (MG): 235.128
Porto Alegre (RS): 151.077
Galeão (RJ): 147.632
Salvador (BA): 145.686

(Visited 127 times, 1 visits today)

Redação Revista Embarque

Email: embarque@revistaembarque.com
Email: jornalismo@midiaconsulte.com

Fone: (11) 96948-7446

Whatsapp: (11) 96948-7446