Austrália tem o maior salário mínimo do mundo

Já o Brasil aparece na penúltima colocação da lista de países da OCDE

Por: Redação Revista Embarque - 10 de janeiro de 2022

Um estudo divulgado pela plataforma de descontos  CupomValido.com.br com dados da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) e do World Bank revela quanto ganham os trabalhadores no mundo.

Dos 32 países pesquisados, a Austrália lidera o ranking com o maior salário mínimo do mundo, com o valor de U$12,9 por hora. O Brasil aparece na penúltima colocação com o menor salário mínimo na lista da OCDE, ficando somente à frente do México. (foto: Sidney, capital da Austrália – crédito: Brett Stone no Pexels).

A pesquisa utilizou o dólar como moeda base, e os salários foram ajustados pela paridade do poder de compra. O salário mínimo médio no Brasil, foi de U$2,2 por hora. Ao considerar somente os países da América Latina, o Brasil fica atrás do Chile (U$3,3/hora) e Colômbia (U$2,9/hora).

Legislação

Segundo a pesquisa, as legislações referentes aos salários mínimos são relativamente novas em todos os países do globo. Em sua grande maioria foram lançadas somente no século 20.

A Nova Zelândia foi o primeiro país do mundo a implementar a lei de salário mínimo, em 1894. Enquanto os Estados Unidos aprovaram a lei somente em 1938. Atualmente os Estados Unidos não estão nem entre os dez países com os maiores salários mínimos do mundo.

Apesar de um salário maior, a quantidade de horas trabalhadas é menor que no Brasil. Na média, os australianos trabalham 38 horas por semana. Um outro benefício, é que os trabalhadores recebem a contribuição chamada de superannuation, que soma um valor adicional de 9,5% para aposentadoria de cada trabalhador.

Quantidade de horas trabalhadas

Apesar de ter um dos menores salários mínimos, o México é o país em que o trabalhador tem a maior carga horária. No ano, são totalizadas 2.124 horas trabalhadas. Em 28,7% dos casos, os trabalhadores mexicanos ficam mais de 50 horas por semana nos escritórios.

Para efeito de comparação, no Brasil a média é de 39,5 horas trabalhadas por semana. Porém, esta menor carga horária semanal, não se resume em maior tempo livre. O tempo gasto no transporte ao trabalho, afeta a quantidade de horas livres do brasileiro. Na média, o brasileiro passa menos tempo fora do trabalho do que a maioria dos países – 14,6 horas são reservadas para comer, dormir e se socializar, em comparação com a média dos países da OCDE de 15 horas.

No caso da China, um fato curioso é que apesar de oficialmente o país adotar uma jornada de 40 horas semanais, existe o chamado “sistema 996”. Praticado por algumas empresas, especialmente na área de tecnologia, o sistema possui este nome pois o trabalhador inicia às 9 da manhã e finaliza somente às 9 da noite, numa rotina que dura 6 dias na semana. No total são trabalhadas 72 horas por semana, mais de 80% em comparação com as 39,5 horas semanais no Brasil.

 

Confira o infográfico completo:

(Visited 105 times, 2 visits today)

Redação Revista Embarque

Email: embarque@revistaembarque.com
Email: jornalismo@midiaconsulte.com

Fone: (11) 96948-7446

Whatsapp: (11) 96948-7446