Brasil está pronto para atender a demanda aeroportuária

3 de junho de 2014

O Ministro da Aviação Civil, Moreira Franco, diz que “Os terminais estão prontos para o século 21”

Durante o “Bom Dia, Ministro” da terça-feira, dia 3, o ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil, Wellington Moreira Franco, falou sobre a preparação dos aeroportos para a Copa do Mundo 2014, que acontece daqui a nove dias.
Durante a conversa com radialistas de todo o país, Franco destacou que o fundamental para o período do mundial é o Brasil estar preparado para atender a demanda aeroportuária. “É claro que temos problemas. Na nossa própria casa temos alguns. No aeroporto não é diferente. É fundamental entender se vamos atender sem transtorno e com tranquilidade os passageiros. Em Salvador, por exemplo, recebemos cerca de 3 milhões de passageiros no Carnaval. Muito mais do que na Copa e atendemos bem”, explicou.
O ministro ainda lembrou que que intervenções nos aeroportos terão que ser feitas sempre, mas que os terminais estarão prontos para o século 21. ”O novo objetivo é ter novos aeroportos no País. Te asseguro que estamos preparados”, afirmou.
Moreira Franco também ressaltou as providências da presidenta Dilma Rousseff para evitar problemas gerenciais nos aeroportos, como grandes filas, falha em atendimento e embarque. “A Infraero vai ter que melhorar e prestar serviços melhores. Estamos fazendo mudanças de organização nos aeroportos. Existe uma autoridade máxima nos aeroportos e cada um tem a sua comissão. Isso permite que exista um responsável por questões emergenciais”, destaca.
O ministro ainda deu um exemplo prático de como pretende que a competição entre os aeroportos aumente a qualidade dos serviços prestados. “Nós instituímos uma pesquisa semestral para que o passageiro opine sobre a qualidade de atendimento. Assim, fazemos um ranking provocando uma mudança de mentalidade para que a autoestima dos funcionários seja estimulada pela qualidade de serviço do passageiro”, disse.
Perguntado sobre os atrasos, o responsável pela Aviação Civil lembrou o rigor do governo com os prazos tanto com as concessões a entidades privadas quanto em aeroportos públicos. Ele também não descartou punições para os atrasos. “Em função do que foi entregue e do que não foi entregue temos em aeroportos públicos e privados. Esses casos podem ser multados. Para o passageiro, ele não está preocupado quem está prestando serviço, ele quer um serviço de qualidade. A nossa função é fazer com que o privado e o público prestem um bom serviço. As punições existirão e existe uma pressão muito grande para que os prazos das concessionárias e da Infraero sejam cumpridos”, ressaltou.
Franco ainda lembrou que alguns aeroportos não foram feitos em áreas adequadas para evitar grandes transtornos com condições climáticas. Para essa situação, ele afirmou que os governos locais vão precisar achar alternativas futuras que envolvem até mudança de local para áreas mais afastadas e que possam sofrer menos com esses problemas.

Pós – entrega
O período de pós-entrega de obras e início dos testes também foi assunto. Moreira Franco alertou para a complexidade dos procedimentos que estão sendo adotados e de problemas que podem surgir. “Alguns aeroportos estão em operações de testes. Não são operações simples. É claro que o teste é para sabermos os problemas. É melhor surgir em testes do que quando estiver em plena operação. Claro que teremos problemas em operação. Problemas são da vida. Nós vamos atender o problema que surgirem e teremos uso normal”, garantiu.
O ministro Franco ressaltou que o País não teve problemas em grandes eventos como a Jornada Mundial da Juventude, por exemplo. “Temos que celebrar nossas vitórias e nossos feitos para cada vez mais confiar na capacidade de organização da sociedade brasileira”, destacou.

(Visited 104 times, 1 visits today)

Redação Revista Embarque

Email: embarque@revistaembarque.com
Email: jornalismo@midiaconsulte.com

Fone: (11) 96948-7446

Whatsapp: (11) 96948-7446