CNJ e Governo Lula lançam campanha contra o assédio no Carnaval

Iniciativa visa reduzir o assédio, a violência e infrações no período de folia

Por: Redação Embarque com Agência CNJ notícias e Agência Brasil - 6 de fevereiro de 2024

Campanha do CNJ

O Conselho Nacional de Justiça realiza até 17 de fevereiro, o #BlocoDoRespeito, uma campanha que busca conscientizar e prevenir situações de assédio e outras violências, durante as festividades do Carnaval.

A campanha será impulsionada pelas redes sociais do Conselho com mensagens diárias durante o período e busca enfatizar a importância da igualdade e do respeito aos direitos de todas as pessoas, independentemente de origem, gênero ou orientação sexual e tem por referência o movimento e protocolo Não é Não! As publicações também reúnem informações de utilidade pública e serviços oferecidos pelo Poder Judiciário e outras instituições para os foliões e as foliãs.

“O carnaval é uma festa democrática, caracterizada pela diversidade”, lembra a secretária-geral do CNJ, Adriana Cruz. Ela ressalta que, entre outras atribuições, é papel do órgão promover a conscientização de direitos e ações que previnam violências. “Para que todos possam participar com alegria dessa grande festa, é fundamental a presença do respeito”, completa.

Para contribuir para a diminuição do assédio, da violência e de infrações no período do Carnaval, o CNJ aposta em parcerias de Tribunais Superiores e Regionais, instituições públicas, além de artistas e influenciadores brasileiros. Entre eles, Daniela Mercury e Alok, que integram o Observatório de Direitos Humanos do CNJ e atuam como embaixadores do #BlocoDoRespeito.

Grandes artistas do Carnaval vão aderir à causa, como os cantores e compositores Bell Marques, Durval Lima e Léo Santana. Artistas com voz ativa em defesa das mulheres também apoiam a campanha, como a modelo e empresária Luiza Brunet. A campanha conta, ainda, com o apoio de escolas de samba do Rio de Janeiro, da Inframérica, do Detran-DF, da Secretaria da Mulher do DF e de prefeituras de diversas cidades.

Campanha do governo federal
Outra campanha é do Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania (MDHC)  que destaca “Carnaval, sim, mas, assédio, desrespeito e violações de direitos não terão passagem nas avenidas”.
O cantor e compositor Saulo Fernandes é o embaixador da campanha federal.

No jingle da ação, em ritmo de pagode baiano, o artista convoca os foliões para ingressarem no Bloco do Disque 100 e denunciar possíveis casos de violações de direitos humanos. “Se você souber de qualquer violação de direitos humanos, denuncie. Disque 100″.

(Visited 126 times, 1 visits today)

Redação Revista Embarque

Email: embarque@revistaembarque.com