Destruição do maior avião de carga ucraniano comove mundo

No Brasil, a última visita do Antonov An-225 aconteceu em 9 de março de 2021.

Por: Redação da Revista Embarque - 2 de março de 2022

A notícia da destruição do maior avião de carga do mundo, o Antonov An-225 conhecido como “Mriya” (Sonho em ucraniano), comoveu a aviação mundial.  A aeronave ucraniana foi destruída pelas tropas russas no aeroporto de Gostomel, no último dia 27 de fevereiro, perto de Kiev, capital da Ucrânia. (Foto: Mriya em Viracopos, Campinas-SP -crédito Aeroporto de Viracopos)

A informação foi confirmada pela Ukroboronprom, fabricante de armas estatal ucraniana (e responsável pela Antonov Company).  No twitter, o Ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba,  também confirmou que o ‘Mriya’ foi destruído  por fogo inimigo. “Ainda bem que conseguimos vê-la mais de uma dúzia de vezes em Anchorage em 2020 na rota de/para Montreal e Toronto”, disse na rede social.

Os impactos dessa destruição trarão fortes prejuízos econômicos. O “Mriya” se tornou um grande ativo para transporte de cargas especiais que só poderiam ser transportadas por navios.

No Brasil, a última visita do Antonov An-225 aconteceu em 9 de março de 2021. Naquela ocasião, a aeronave ucraniana transportou mais de 96 toneladas de equipamentos para abastecer a indústria automotiva e desembarcou no Aeroporto Internacional de São Paulo, GRU Airport.

A maior do mundo

A  maior aeronave de cargas em operação, Mriya, foi desenvolvida durante a guerra fria para o setor espacial da antiga União Soviética (URSS). O Antonov 124 tinha capacidade para transportar itens super-pesados e superdimensionadas com até 120 toneladas.

A cabine de carga era pressurizada e contava com um volume total de 1.050 m³. Com essas características, transportava diferentes tipos de carga, incluindo peças ou remessas fora do padrão e de grandes dimensões.

Uma outra curiosidade desta aeronave é que ela contava com um trem de pouso equipado com 24 rodas e permite alterar o ângulo da fuselagem para simplificar as operações de carregamento.

Além disso, possuia duas entradas de carga, ambas com rampas de entrada.

Reconstrução

O governo ucraniano em post no twitter disse que irá reconstruir o avião. “Cumpriremos nosso sonho de uma Ucrânia forte, livre e democrática”.

A estimativa é que a restauração dessa aeronave custaria mais de US$ 3 bilhões.

 

(Visited 148 times, 1 visits today)

Redação Revista Embarque

Email: embarque@revistaembarque.com
Email: jornalismo@midiaconsulte.com

Fone: (11) 96948-7446

Whatsapp: (11) 96948-7446