Conheça 12 tendências que mudarão as viagens até 2033

Táxis aéreos elétricos, aeroportos inteligentes, operações no Metaverso e nova jornada digital são algumas das novidades.

10 de janeiro de 2023

De viajantes jovens e altamente conectados à chegada dos táxis aéreos elétricos essas são algumas das principais  tendências tecnológicas que transformarão significativamente o cenário de viagens até 2033. É o que revela o novo relatório da SITA “Meet the Megatrends” (Conheça as Megatendências, disponível em inglês) que examina 12 megatendências.

Segundo o documento, essas transformações operam em um ecossistema em evolução, no qual tecnologias emergentes interconectam as tendências e ajudam a impulsioná-las, sendo que os dados estão no centro desse ecossistema. E a crescente disposição dos provedores em compartilhar dados com todo o setor aéreo ajudará a acelerar ainda mais essas tendências e abrirá caminho para uma experiência de viagem mais conectada e agradável,  entendendo a um desejo dos passageiros.

“O setor de transporte aéreo está em uma encruzilhada no pós-pandemia, com desafios de todos os lados. Enquanto a recuperação das viagens acelera globalmente, os aeroportos e as companhias aéreas estão se esforçando para oferecer a ótima experiência de viagem que os passageiros esperam, muitas vezes com força de trabalho reduzida e orçamentos apertados. Além disso, a crise climática exige uma ação mais rápida e decisiva da indústria para tornar as viagens mais sustentáveis. Agora, temos a oportunidade de reimaginar o mundo das viagens, conectar os pontos e transformá-las com soluções ousadas que interconectam setores e exploram as tecnologias mais recentes”, comenta Ilkka Kivelä, vice-presidente de Estratégia e Inovação da SITA.

Viajantes da geração Z e os millenials

Uma das principais tendências identificadas no relatório é que os viajantes da geração Z e os millenials estão conduzindo uma transformação digital do setor de transporte, exigindo uma jornada digital mais integrada e acelerando o modo de vida digital. Privacidade, direitos de identidade digital e controles para passageiros serão uma prioridade, abrindo as portas para um futuro onde podemos viajar de todo para qualquer lugar sem a necessidade de documentos físicos ou de ser parado para identificação.

Outra tendência forte é a automação e o surgimento de aeroportos inteligentes, que irão remodelar a força de trabalho, dar origem a um novo modelo organizacional mais horizontal e simplificar as operações por meio da tecnologia. Com isso, até 2030, as operações no metaverso serão comuns nos principais aeroportos e desempenharão um papel vital na otimização de processos, evitando interrupções e facilitando o controle intuitivo e imersivo dos aeroportos inteligentes. Isso, por sua vez, exigirá novas habilidades e criará novas oportunidades para os profissionais do setor.

Enquanto isso, estima-se que os veículos aéreos elétricos sejam onipresentes nos principais aeroportos internacionais até o final da década, operando como um serviço auxiliar eficaz, além de gerar um fluxo de receita para aeroportos e companhias aéreas.

Somente em 2022, o investimento na indústria de Mobilidade Aérea Urbana disparou, com US$ 4,7 bilhões destinados ao desenvolvimento de aeronaves elétricas de decolagem e pouso vertical (eVTOLs – electric Vertical Take-Off and Landing, em inglês).

“Essas tendências estão moldando a própria agenda de inovação da SITA. Estamos entusiasmados por trabalhar em muitas dessas áreas e ansiosos para colaborar com os parceiros, promovendo mudanças positivas em todo o setor”, destaca o executivo da SITA.

O relatório foi liderado pela equipe de inovação do SITA Lab e se baseia em insights de toda a indústria de transporte, na pesquisa global da SITA e na mais recente Prova de Conceito de ponta para identificar as mudanças mais poderosas que impulsionarão a evolução da indústria de viagens até 2033.

(Visited 129 times, 1 visits today)

Redação Revista Embarque

Email: embarque@revistaembarque.com