Teaching For Free é referência na capacitação de pilotos no Brasil

Embarque entrevistou o Piloto Comercial de Avião e Instrutor de Voo, Agnaldo Silveira, que é diretor executivo do Grupo.

Por: Viviane Barbosa, editora da Revista Embarque - 29 de abril de 2020

A Série #EmbarqueAviaçãoSegurança destaca os desafios da profissão de piloto, que atravessa uma fase difícil em razão da pandemia do novo coronavírus (COVID-19). Segundo a ANAC (Agência Nacional da Aviação Civil), houve uma redução drástica na malha aérea de voos no Brasil e no exterior. O número de voos semanais passou de 14.781 para 1.241 no país. (foto do Grupo de aviadores)

Há três o Teaching For Free, grupo que reúne mais de 5 mil aviadores do Brasil e exterior, faz um trabalho de capacitação para os profissionais disponibilizando conteúdo, treinamento e assessoria de forma gratuita.

Embarque entrevistou o Piloto Comercial de Avião e Instrutor de Voo, Agnaldo Silveira, que é Secretário Executivo e Gestor de Mídias Digitais do Teaching For Free.

O comandante Silveira conta sobre o balanço do trabalho do Grupo, os requisitos para ser um piloto, os impactos da COVID-19 na indústria da aviação e  dá dicas culturais para quem ama essa profissão, que desempenha um papel importante na segurança de voo de milhões de passageiros e de cargas no dia a dia na aviação.

Confira os principais trechos da entrevista!

Revista Embarque: O que te motivou a trabalhar na aviação? Conte sobre a sua trajetória profissional.
Agnaldo Silveira (foto): Eu, em nome do grupo Brazilian Pilots Teaching and Helping For Free, é quem agradeço a oportunidade. Comecei a trabalhar muito cedo, como radialista, aos 14 anos de idade. Mas sempre tive um sonho muito intenso de pilotar minha própria aeronave. Uma parte do sonho já foi atingida. Hoje sou piloto comercial de avião e instrutor de voo.

Revista Embarque: Com surgiu o Teaching For Free e qual é o balanço do grupo nestes últimos três anos?

Agnaldo Silveira: A história do Teaching For Free começou em junho de 2018, idealizado pelo Piloto Rafael Santos, que em conjunto com um grupo de aviadores, debateram sobre a deficiência na capacitação de pilotos brasileiros com objetivo de expatriar ou se recolocar no mercado de trabalho. Foi criado a partir daí o objetivo de discutir e colocar em prática ideias para disponibilizar conteúdo, treinamento e assessoria de forma gratuita para pilotos profissionais.

Revista Embarque: Qual é o balanço do grupo nestes últimos três anos?

Agnaldo Silveira: O grupo cresceu bastante. O nosso canal no Youtube já passou de 5000 assinantes. Estamos presentes em todas as redes sociais relevantes na atualidade (Linkedin, Instagram, Twitter, Facebook) além do site e podcasts(spotify/itunes/googlepodcasts) que reproduzem algumas de nossas lives transmitidas anteriormente no canal. Sem falar na produção de mídia que promove Segurança de Voo e treinamento para seleção, também já realizamos palestras em escolas e faculdades de aviação civil.

Revista Embarque: No Brasil, quais dificuldades os pilotos encontram para ingressarem no mercado de trabalho? Quantos profissionais temos no país?

Agnaldo Silveira: A dificuldade para ingressar neste mercado é muito parecida com as demais profissões altamente qualificadas. Porém, com algumas diferenças bem importantes, como por exemplo: a exigência quase obrigatória de comprovação de nível de inglês através de uma prova de nivelamento, estar sempre com a saúde em perfeitas condições e passar por treinamentos, recheques práticos e teóricos anuais e em alguns casos até mesmo de 6 em 6 meses. Qual outra profissão exige isso? No Brasil temos em atividade, aproximadamente 26 mil pilotos privados e pilotos comerciais ativos. Ativos significa pelo menos uma habilitação válida.

Revista Embarque: A indústria da aviação foi drasticamente afetada pela pandemia na saúde por causa do novo coronavírus, isso é fato. Como o senhor analisa as mudanças propostas pelo Governo Federal para o setor e como o senhor analisa o cenário pós-crise?

Agnaldo Silveira: O governo brasileiro anunciou mudanças nas regras da relação de consumo e um retardamento nas cobranças de tarifas. O cenário atual e da atividade quase que parada em sua totalidade enquanto se aguarda um empréstimo ponte de bancos privados capitaneados pelo BNDES, é que a maioria dos trabalhadores está de licença. No cenário futuro se vislumbra uma recuperação mais rápida do mercado doméstico, no setor internacional em função de variáveis, entre elas câmbio por exemplo. Essa recuperação deverá ser muito mais lenta, porém, hoje tudo se trata de expectativa muito mais baseada em suposições, pois não existe modelo para uma crise no setor tão intensa e veloz.

Revista Embarque: Quais séries ou vídeos o senhor recomenda para quem deseja ingressar no mercado da aviação e ser piloto ou pilota?

Agnaldo Silveira: Além dos crichês “Top Gun e Sully”, gosto muito dos filmes Battle of Britain e Dunkirk. Este último, apesar de não focar na narrativa exclusivamente aeronáutica da batalha, conta com belíssimas tomadas aéreas com aeronaves reais. Séries somente aquelas disponíveis em nosso canal no youtube sobre empregabilidade e segurança de voo.

Revista Embarque: Agradecemos a entrevista, comandante, parabéns pelo trabalho do Grupo!

Agnaldo Silveira: Mais uma vez, agradeço o espaço e nos colocamos sempre à disposição para um fortalecimento de parcerias em que podemos agregar para a difusão cada vez maior da Cultura Aeronáutica.

(Visited 219 times, 1 visits today)

Redação Revista Embarque

Email: embarque@revistaembarque.com
Email: jornalismo@midiaconsulte.com

Fone: (11) 3136-0953

Whatsapp: (11) 96948-7446

Comentários


WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com